Iniciam nesta segunda-feira (14) as primeiras atividades do Festival Até o Tucupi, em Manaus. A programação, que vai até o dia 25 deste mês, terá como tema a Consciência Negra, e vai debater o tema em diversos pontos da capital, além das apresentações musicais que devem ocorrer ao longo da semana.

Comemorando 10 anos de realização, o Até o Tucupi – realizado pelo Coletivo Difusão – ressalta os debates sobre a negritude e identidade nesta edição. O festival surgiu com a proposta de colaborar com a reconfiguração da produção cultural no país.

Para iniciar os trabalhos, o Até o Tucupi vai percorrer três escolas públicas da cidade, inclusive na Zona Rural, para promover o debate sobre a Consciência Negra. A programação vai desde debates até exibição de filmes sobre o tema.

A abertura oficial do evento acontece no dia 20 de novembro, no Teatro Amazonas, com o show “Personalidades Negras”. O espetáculo vai trazer oito artistas amazonenses negras em um show cheio de diversidade.

“Nós resolvemos chamar só mulheres, porque a gente tem um pouco de dificuldade para pensar quem são as mulheres negras, cantores negras da cidade de Manaus? Isso demonstra como a gente precisa jogar luz para esses trabalhos, para gerar mais visibilidade para esses trabalhos”, disse a cantora Elisa Maia, uma das coordenadoras do evento.

A abertura vai reunir as artistas, Luciana Gorgonha, Jéssica Stephens, Vivian Gramophone, Inah Bastet, Lary Go & Estrela, Karen Francis, além de Elisa. “Cada menina tem um estilo diferente. Observando o repertório, têm as meninas do rap, eu vou trazer uma axé, a Jéssica vai trazer uma pegada mais MPB, de Soul”, disse a cantora Luciana Gorgonha, ao comentar sobre a diversidade do espetáculo.

Ainda segundo ela, a temática do evento reforça a necessidade de abrir o debate sobre preconceito racial no Amazonas. “Apesar de estarmos na era da informação, em que a gente consegue acesso a tudo a qualquer hora, as pessoas continuam com esse tipo de comportamento e trazer um evento que alimenta e ressalta que ser negro é ter identidade, é valorizar e se reconhecer, é fundamental”, disse.

O Até o Tucupi vai se espalhar pela cidade em uma programação que deve ser divulgada na segunda-feira (13). Entre as atividades já confirmadas está um seminário de música na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) – promovido pelo festival, junto com alunos do curso de Música -, além de uma oficina de iniciação à produção de beats, que será ministrado só para mulheres pela DJ Naty Veiga.

Mostra de música

Uma mostra de música encerra o festival, no dia 25 de novembro, no Les Artistes Café Teatro, no Centro da cidade, com apresentação de diversas bandas da região Norte de Vapor, Coletivo 333, Lary Go & Strela, Thais Badu (PA), Código de Rua MCs, Banda Gramophone, Ana Lu (RR), Victor Xamã, Cardíaco, Os Últimos (RO).

COMPARTILHAR
Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here